top of page
Buscar
  • Lantau

Perfil China - Shanghai 上海

Atualizado: 31 de jul. de 2023

Nessa série de artigos, que se inicia hoje, a equipe da Lantau vai trazer um breve histórico e perfil das matrizes econômicas de cada província da República Popular da China, com o intuito de familiarizar o nosso leitor com cada região do país, entendendo qual parte da China tem um maior potencial de sinergia com o seu negócio.

O primeiro artigo será dedicado à Shanghai!



Dados gerais


A cidade de Shanghai é uma das 4 municipalidades da China que respondem diretamente ao governo central em Pequim, ou seja, elas não pertencem a nenhuma província e são “independentes”, tendo mais autonomia do que outros municípios.

Localizada na margem sul do estuário do Rio Yangtze, Shanghai tem uma localização central na geografia chinesa, o que sempre foi um fator de influência muito grande na história da cidade.

Cortada pelo Rio Huangpu, Shanghai tem hoje cerca de 24,89 milhões de habitantes, uma das áreas urbanas mais populosas do planeta.

Em termos econômicos, Shanghai tem um PIB de 1,33 trilhões de USD, maior do que o PIB mexicano e abriga o porto mais movimentado do mundo com 43.500 TEU (unidade equivalente a 20’) em 2020.


Fonte: https://zh.wikipedia.org/

Histórico


Uma pequena vila de pescadores e centro comercial até o século XIX, devido à sua localização favorável, no centro da costa chinesa e nas margens de um dos dois maiores rios do país, Shanghai foi um dos 5 portos chineses que tiveram uma abertura forçada ao comércio internacional no final da Primeira Guerra Ópio (1839-1842). Esse tratado cedeu partes da cidade para colonização estrangeira, incluindo o famoso bairro da French Concession, e também tornou Shanghai, gradualmente, em um dos hubs comerciais mais importantes do mundo, tornando-se o centro comercial da Ásia até a década de 30.

Após esse boom econômico, a cidade foi palco da Batalha de Shanghai (1937), durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa (1937-1945) e dos primeiros congressos do Partido Comunista da China (PCC), após sua ascensão ao poder em 1949.

Assim como toda a China, Shanghai vivenciou uma queda na atividade econômica no período entre 1949 até 1978, quando as reformas de abertura de Deng Xiaoping começaram a entrar em vigor. Com a abertura econômica, Shanghai voltou a florescer e hoje abriga uma das maiores bolsas de valores do mundo (em termos de capitalização), assim como a primeira Zona de Livre Comércio (FTZ na sigla em inglês) criada na China.


Fonte: https://zh.wikipedia.org/

Economia


Conforme mencionado anteriormente, a localização estratégica de Shanghai tornou a cidade uma óbvia escolha para tornar-se um centro comercial e logístico, tanto para o mercado doméstico quanto para o mercado internacional.

Quando falamos da Shanghai de hoje, seu reduzido território apresenta complicações para desenvolvimento do agro negócio, mesmo assim, a cidade ainda tem alguns núcleos de produção, principalmente de arroz e frutas, nos distritos afastados do centro, com destaque para a ilha de Chongming, no norte do território.

Já na indústria, a cidade tem tradição na produção de artigos de pequeno porte e de uso diário. Muitas marcas locais de roupas, sapatos, relógios, bicicletas entre outros produtos, muito conhecidas dos chineses, são provenientes de Shanghai, que hoje também se tornou a capital nacional da indústria da moda, abrigando as sedes chinesas da maioria das marcas nacionais e internacionais.

O panorama da indústria pesada também é muito interessante. Para efeitos de comparação, a cidade de Shanghai abrigava 60% da indústria chinesa até a fundação da República Popular em 1949. Embora hoje o número seja mais baixo, Shanghai se especializou em algumas indústrias específicas como: metalurgia, petroquímica e produção de todos os modais de veículos como carros, aviões e navios.


Fonte: https://zh.wikipedia.org/

A maior fábrica de automóveis da americana Tesla, fora dos EUA, está em Shanghai, no distrito de Minhang, com capacidade de produção para 750.000 veículos por ano, além dos maiores estaleiros nacionais para produção de embarcações militares e civis.

Entretanto, o setor que merece maior destaque da economia da cidade é a parte de serviços e instituições financeiras. Devido ao seu histórico de abertura comercial e integração econômica com o exterior, Shanghai é um dos destinos favoritos para o capital estrangeiro dentro da China Continental (isto é, excluindo-se Macau, Hong Kong e Taiwan). Para além da já citada FTZ, as políticas favoráveis para abertura de empresas estrangeiras na cidade, imigração, alfândega e familiaridade dos oficiais responsáveis em lidar com estrangeiros, tornam a cidade um dos destinos mais atrativos para novos entrantes no mercado doméstico chinês.

Aqui está localizada a maior bolsa de valores da China, a sede dos maiores bancos estrangeiros e consultorias, além de um ambiente de negócios dinâmico, verdadeiramente global e aberto para o mundo exterior. Fruto de uma história complexa envolvendo guerras, colonialismo e revoluções, Shanghai é o destino mais indicado para empresas de serviços e do ramo financeiro que queiram expandir seus negócios para dentro da China.


302 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page